top of page
  • Foto do escritorJessica Barros

Conheça seus direitos diante do adiamento do show do Colpaly no Brasil



A banda britânica Coldplay divulgou nesta terça-feira (4) o adiamento dos shows que faria no Brasil, durante o mês do outubro. Segundo comunicado, o vocalista do grupo, Chris Martin, 45, está com uma infecção no pulmão e recebeu ordens médicas para se afastar dos palcos.


"Com profundo pesar, fomos forçados a adiar nossos próximos shows no Rio de Janeiro e São Paulo até o início de 2023. Devido a uma infecção pulmonar séria, Chris recebeu ordens médicas rigorosas para descansar pelas próximas três semanas. Estamos trabalhando para ter as novas datas o mais rápido possível e divulgaremos mais informações nos próximos dias"

E diante desse inesperado cancelamento, qual são os direitos dos consumidores que adquiriram os ingressos da banda?


Manter os ingressos.


Como o que foi anunciado pela banda foi um adiamento, aquele consumidor que decidir esperar pela nova data, pode manter seu ingresso que será válido na nova data.


Mas e se eu não puder ir na nova data?


Neste caso você poderá escolher entre duas formas de reembolso:


  1. voucher da Eventim, empresa organizadora do show, para usar em outro evento.

  2. Reembolso total dos ingressos

E vale o alerta: Caso opte pelo reembolso, ele deve ser imediato. Aqui não se aplica a Lei 14.390, oriunda da Medida Provisória (MP) n° 1.101/22, que amplia o prazo de devolução para 31 de dezembro de 2022, porque o cancelamento não ocorreu por conta do coronavírus, mas pela doença do vocalista.


Mas também é importante pontuar que é possível que você não receba todo o crédito de uma única vez, já que a devolução ocorre na forma paga e pode variar de acordo com as rotinas bancária e data de fechamento da fatura.


E se você tiver algum problema para fazer o reembolso, o recomendável é abrir uma reclamação junto ao Procon ou no site do Consumidor.gov


Agora se você comprou o ingresso de cambistas...


Infelizmente não poderá reclamar com a empresa organizadora, mesmo que os ingressos sejam originais, porque o cambista exerce uma prática ilegal, e se a prática é ilegal quem compra também está cometendo uma ilegalidade e não tem direito de reclamar.


E antes que me pergunte, o mesmo vale para a compra de terceiros.


Por fim, fique de olho nas atualizações feitas no site da organizadora do evento para ficar informado quando será aberta as novas datas ou para pedir seu reembolso.


Gostou do conteúdo? Compartilhe!


Fonte da notícia de adiamento: Folha de são Paulo online






5 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page