top of page
  • Foto do escritorJessica Barros

Como fazer amigos e influenciar pessoas: Um livro que todo empreendedor deveria ler


Certamente você gostaria de aumentar a sua rede de contatos. Fazer um networking mais qualificado. E ter bons relacionamentos interpessoais, certo? Eu entendo! O maior desafio do empreendedorismo, independentemente do ramo, é o relacionamento com as pessoas.


Pessoas são clientes, colaboradores, parceiros, prestadores de serviço. Enfim, as pessoas são os negócios e os negócios são feitos de pessoas.


E é por isso que hoje eu trouxe aqui um livro que é muito importante para quem quer aprender a lidar com pessoas: "Como fazer amigos e influenciar pessoas"


Já ouviu falar? Se ouviu e ainda não leu, tenho certeza que depois de ler sobre ele vai mudar de ideia!


Mas primeiro me deixe te situar de quem é o autor do livro Dale Carnegie:


Nascido em 24 de novembro de 1888, em Maryville, Missouri, Dale Carnegie fundou, em 1912, a sua própria escola, a Dale Carnegie Training, presente hoje em mais de 90 países. Seu extenso currículo vai desde o serviço militar até os estudos na Academia Americana de Artes Dramáticas.


Nos negócios foi escritor, palestrante e empresário. O livro “Como fazer amigos e influenciar pessoas”, lançado em 1936, já vendeu mais de 50 milhões de cópias e é um dos livros de negócios mais vendidos de todos os tempos.


Acho que já deu para perceber que ele não é qualquer um, certo?


Então vamos continuar e falar sobre o livro.... Oito coisas que o livro fará por você:

  1. Irá tirá-lo da rotina mental, dando-lhe novos pensamentos, novas visões, novas ambições;

  2. Tornará mais fácil a você fazer amigos rápida e facilmente;

  3. Aumentará a sua popularidade;

  4. Ajudará a conquistar pessoas a pensarem do seu modo;

  5. Aumentará a sua influência, seu prestígio e sua habilidade de conseguir as coisas;

  6. Ajudará a acabar com as queixas, a evitar discussões e manter as formas de contato humano agradáveis e amenas;

  7. Fará você um orador melhor e um conversador mais interessante;

  8. Vai ajudá-lo a despertar o entusiasmo entre os seus companheiros.

Eu sei...você deve estar pensando: Como isso será possível? Bom, para responder vamos analisar as técnicas propostas por Carnegie.


O livro


A ideia central do livro é desenvolver o potencial “adormecido” de cada um para lidar com as pessoas e a forma como isso é proposto é pela prática. Nas palavras de Carnegie:


Se, ao chegar ao terceiro capítulo desta obra, o leitor não se sentir mais preparado para enfrentar as situações da vida, considerarei este livro um completo fracasso. “O grande objetivo da educação”, afirmou Herbert Spencer, “não é o saber, mas a ação”. Este é um livro de ação.

E se o Dale disse...Vamos a ação!


Técnicas fundamentais para lidar com as pessoas


Quando tratamos com pessoas, lembremo-nos sempre de que não estamos tratando com criaturas de lógica. Estamos tratando com criaturas emotivas, criaturas suscetíveis às observações norteadas pelo orgulho e pela vaidade.

Princípio 1 – Não critique, não condene, não se queixe.


Segundo o autor mostra no livro, o ressentimento das críticas pode desmoralizar empregados, a família e amigos, e isso não melhora a situação, pelo contrário, a crítica não opera mudanças duradouras.


Pense o seguinte:

Em lugar de condenar os outros, procuremos compreendê-los. Procuremos descobrir por que fazem o que fazem. Essa atitude é muito mais benéfica e intrigante do que criticar; e gera simpatia, tolerância e bondade.

Princípio 2 – Aprecie honesta e sinceramente


Um elogio! Mas não é bajulação...É a apreciação honesta de cada ponto que seja passível de um elogio. Para o autor existe na natureza humana uma serie de desejos, mas apenas um não pode ser satisfeito, “o desejo de ser importante”. Este é o desejo que gera a ambição, e não há meio melhor para matar a ambição do que a crítica. Por outro lado, o meio mais eficiente de desenvolver o que há de melhor em uma pessoa é justamente o oposto da crítica: elogiar e encorajar.


Princípio 3 – Desperte um forte desejo na outra pessoa


Você tem o desejo de persuadir o outro a fazer o que você deseja? Então antes de tudo se pergunte como poderá fazer com que ele queira isso?


Para o autor, “o único meio existente na terra para influenciar uma pessoa é falar sobre o que ela quer e mostra-lhe como realizar o seu intento."


Como fazer isso? O livro relata várias histórias muito interessantes, mas vou trazer aqui a da Barbara Anderson. Uma mulher, mãe, e funcionária de banco que devido a doença de seu filho precisava mudar de cidade e para conseguir um emprego escreveu uma carta para os bancos da cidade onde moraria.


Prezado Senhor:

Meus dez anos de experiência bancária seriam de interesse a um banco que cresce tão depressa quanto o do senhor.

Tenho trabalhado em várias funções no Bankers Trust Company, de nova York, o que me propiciou alcançar meu atual cargo de gerente de agência, adquiri muita experiência e habilidade em todas as fases bancárias, incluindo relações com depositantes, créditos, empréstimos e administração.

Estarei de mudança para Phoenix no próximo mês de maio e tenho certeza de que poderei contribuir para o seu crescimento e rendimento. Estarei em Phoenix no dia 3 de abril e gostaria de ter a oportunidade de mostrar ao senhor de que modo poderei colaborar com os objetivos de seu banco.

Atenciosamente,

Barbara L. Andersom.


A conclusão: Deu certo para Barbara e pode dar para pessoas comuns como eu e você. O segredo é mostrar que você pode ser útil.


As seis maneiras de fazer as pessoas gostarem de você


Seis passos! É isso que, segundo Carnegie, você precisa para desenvolver a personalidade agradável que Napoleão Hill identificou como sendo umas das 16 leis do sucesso. São eles:


  1. Torne-se verdadeiramente interessado na outra pessoa;

  2. Sorria;

  3. Lembre-se de que o nome de uma pessoa é para ela o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma;

  4. Seja um bom ouvinte, incentive as pessoas a falarem sobre elas mesmas;

  5. Fale de coisas que interessem à outra pessoa;

  6. Faça a outra pessoa sentir-se importante, e faça-o com sinceridade;


Conseguiu seguir os seis passos e se tornou agradável? Então é a hora de:


Conquistar as pessoas a pensarem do seu modo


Evitar discussões, respeitar a opinião dos outros, reconhecer erros, começar de maneira amigável para fazer a pessoa dizer sim, deixar que ela fale boa parte da conversa e pense que a ideia foi dela. São passos difíceis! Eu sei! Parte deles, inclusive, é contra a nossa natureza humana competitiva. Mas é o que Dale sugere.


Você pode dizer a um homem que ele está errado por meio de um olhar, um gesto, uma entonação, como também por meio de palavras, mas se lhe disser que está errado, pensa que o levará a concordar com você? Nunca! Pois você deferiu um golpe direto contra sua inteligência, contra seu julgamento, contra seu orgulho, contra seu amor próprio. Isso fará apenas que ele queira revidar, mas nunca fará com que ele mude de ideia. Você não alterará a sua opinião, pois você lhe feriu a sensibilidade.

E a conclusão que valida o pensamento é simples: “Você não pode vencer uma discussão. Não pode porque, se perder, perdeu mesmo, e, se ganhar, também perdeu.”


Por isso que o melhor caminho é, segundo ele, começar de maneira amigável e fazer com que a pessoa pense que a ideia que você está sugerindo veio dela própria.


E para finalizar...Sim, infelizmente esse é o último capítulo do livro...


Seja um líder


O ponto central aqui é “Como mudar as pessoas sem ofendê-las nem as deixar ressentidas?” Para Dale a forma de começar é elogiar antes de apontar os erros!


O elogio é como a luz do sol para o ardente espírito humano; sem ele, não florescemos nem crescemos.

Quem não gosta de ser elogiado, não é verdade? E fato é que, após aceitar um elogio as pessoas se tornam mais predispostas a corrigir seus erros, porque querem atender as expectativas e salvar sua própria reputação.


Mas atenção!


Evite envergonhar as pessoas e faça o erro parecer fácil de corrigir, só assim você conseguirá estimular a pessoa ao sucesso e a fará sentir-se feliz realizando aquilo que você sugere.


Eu sei, no fim das contas você deve estar pensando: “um livro tão antigo e feito a partir de uma cultura totalmente diferente da nossa, não pode dar certo!”


E você está correto em seu pensamento! A metodologia do livro não te dará resultados em 100% das vezes, mas 1% de resultado é muito melhor que resultado nenhum, concorda?


E isso não é um achismo, é uma evidência. Profissionais treinados em mediação de conflitos, que lidam diariamente com conflitos pessoais familiares, patrimoniais e empresariais utilizam várias técnicas do livro, como, por exemplo, o gerar empatia (rapport); o sorria; o chame pelo nome; para resolver os problemas que lhes chegam.


Te convenci a ler o livro? Então saiba que o fiz utilizando umas das técnicas que ele próprio ensina (Se descobriu qual foi me manda uma mensagem aqui no blog ou nas minhas redes sociais 😉).


Esse é certamente um livro que todos, especialmente empresários e empreendedores, deveriam ler!



Gostou do conteúdo? Encaminhe para um amigo empreendedor.


Jessica Barros é advogada atuante no direito civil empresarial e tribunais superiores. Especialista em Compliance e LGPD.


Conheça meu trabalho também na atuação em Tribunais Superiores clicando no botão abaixo.



Comments


bottom of page